Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.fespsp.org.br/handle/123456789/159
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMontero, Paula-
dc.contributor.authorFreitas, Caroline Cotta de Mello-
dc.date.accessioned2023-09-26T19:28:26Z-
dc.date.available2023-09-26T19:28:26Z-
dc.date.issued2013-03-15-
dc.identifierhttps://doi.org/10.11606/T.8.2013.tde-20052013-115543pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.fespsp.org.br/fesp/handle/123456789/159-
dc.description.abstractNesta tese analisamos a atuação dos movimentos sociais indígenas na Bolívia, e seus discursos sobre autonomia. Nosso foco é o CONAMAQ Consejo Nacional de Ayllus y Markas del Qullasuyu. Por entendermos que não existe enunciado sem posição, mapeamos os discursos que operam na esfera pública boliviana a fim de compreender qual a posição do CONAMAQ. Este mapeamento consistiu na análise também dos discursos da CSUTCB Central Sindical Única de Trabajadores Campesinos de Bolivia e do Estado Plurinacional de Bolívia. Descrevemos os discursos nacionalistas e indianistas bolivianos, em especial o katarismo, para analisar a constituição dos agentes, de seus posicionamentos e do modo como interagem. Nossa intenção foi definir o campo de relações, simultaneamente prático e discursivo, no qual se codificam os sistemas de diferenças que compõem o contexto em que circulam os agentes e seus discursos. Encontramos evidenciados no processo de construção do Estado Plurinacional na Bolívia, dois discursos com base nos quais se estabelecem posições discursivas, organizam-se movimentos sociais e criam-se agentes na esfera política pública: o camponês-indígena e o indígenaoriginário. Com base nisso, propomos analisar o encontro dos discursos sobre direitos do CONAMAQ, do Estado Plurinacional e da normativa do direito internacional sobre direitos dos povos indígenas, com ênfase no debate sobre o direito à autonomia. A fim de demonstrar que os contatos e encontros entre os níveis discursivos local (identificados como CONAMAQ e Estado plurinacional), e internacional (entendido como a normativa de direitos dos povos indígenas constituída por organismos internacionais), se interpenetram e apresentam diferentes pontos de contato, constituindo embates discursivos na esfera pública local e, também, na internacional/global.pt_BR
dc.subjectAutonomiapt_BR
dc.subjectBolíviapt_BR
dc.subjectCONAMAQpt_BR
dc.subjectDireitospt_BR
dc.subjectEstado plurinacionalpt_BR
dc.subjectIdentidade etnicidadept_BR
dc.titleEntre wiphalas, polleras e ponchos: embates entre discursos de CONAMAQ, do Estado plurinacional da Bolívia e do direito internacionalpt_BR
dc.typeTrabalho de Conclusão de Cursopt_BR
dc.description.notesTese de doutorado submetida ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Departamento de Antropologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, como parte dos requisitos exigidos para a obtenção do titulo de Doutora em Antropologia Social.pt_BR
dc.type.subtypeTesept_BR
dc.description.pages270pt_BR
dc.ispartofFREITAS, Caroline Cotta de Mello. Entre wiphalas, polleras e ponchos: embates entre discursos de CONAMAQ, do Estado plurinacional da Bolívia e do direito internacional. 2012. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. doi:10.11606/T.8.2013.tde-20052013-115543.pt_BR
dc.contributor.grantorUniversidade de São Paulopt_BR
dc.degree.departmentDepartamento de Antropologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanaspt_BR
dc.degree.programPrograma de pós-graduação em Antropologia Socialpt_BR
Appears in Collections:Docentes

Show simple item record Recommend this item


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.